quinta-feira, 14 de maio de 2009

Botafogo F.R.


Em pé: Brito, Wendell, Valtencir, Nei Conceição, Osmar e Marinho Chagas
Agachados: Zequinha, Carlos Roberto, Jairzinho, Rodolfo Fischer e Ademir Vicente
O Campeonato Brasileiro de 1972 foi extremamente curioso e estranho para o Botafogo. Apesar de sofrer sete derrotas – algumas incríveis – o time conseguiu chegar à final contra o Palmeiras, no Morumbi, precisando da vitória para conquistar o título. Mas um frustrante 0 a 0 deu o campeonato ao clube do Parque Antártica, com Fischer perdendo um gol sem goleiro nos instantes finais da partida. É óbvio que o ano ficou marcado pela vitória esmagadora sobre o Flamengo, por 6 a 0, no dia 15 de novembro, mas não foi conquistada exatamente com os jogadores que aparecem na foto (acima) posada no Maracanã. A foto é da partida contra o Corinthians, disputada a 20 de dezembro, com vitória do Glorioso por 2 a 1.

Na prática, o time jogava com Wendell, Valtencir (deslocado para a direita), Brito, Osmar e Marinho; Nei Conceição, Carlos Roberto e Ademir Vicente (Dorinho); Zequinha (Ferretti), Jairzinho e Fischer. Nessa noite o Timão jogou com Ado, Zé Maria, Baldocchi e Pedrinho; Tião, Nei Lopes e Sicupira; Paulo Borges, Rivelino e Marco Antônio (Vaguinho). A rigor, para uma campanha tão cheia de altos e baixos, o fato de chegar à ultima rodada com possibilidades de ser campeão já foi um feito mais do que extraordinário.
Apesar de campeão pelo Fluminense em 1971 (em cima do Botafogo), com a preciosa ajuda de José Marçal Filho, Zagallo foi para o Mais Querido em 1972 e levou com ele vários ex-alvinegros, como Moreira, Chiquinho Pastor, Rogério Ventilador, Humberto Redes e Paulo César. O resultado na partida contra o Glorioso foi uma derrota devastadora: 6 a 0. O Botafogo (repito que não o da foto acima), jogou com Cao, Mauro Cruz, Osmar Guarnelli, Valtencir (deslocado para a quarta-zaga) e Marinho Chagas; Carlos Roberto, Nei Conceição e Ademir Vicente (Marco Aurélio); Zequinha, Jairzinho e Fischer (Ferreti). O Mais Querido – repleto de ex-alvinegros – formou com Renato Manifesto, Moreira, Chiquinho Pastor, Tinho e Rodrigues Neto; Zanatta (Mineiro) e Liminha; Rogério Ventilador, Caio, Humberto Redes e Paulo César Caju.

Crédito: http://portoroberto.blog.uol.com.br

3 comentários:

  1. Como era linda esta camisa do FOGÃO nos anos 70 e tinha Marinho Chagas wendell dirceu ficher jairzinho. A atual camisa tem um borro nas costas é feia

    ResponderExcluir
  2. esses bons tempos voltarão.....estamos retornando ao lugar de onde nunca deveríamos ter saído, mas por causa de admnistrações fracassadas,do abandono de nossas tradições juntos as nossas categorias de base amargamos um anonimato de 21 anos. estejamos alertas e presentes junto ao nosso clube que sem a sua torcida......não existirá!!!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite

    Retificando:

    Brito, Wendell, Waltencir (com "W"), Nei Conceição, Osmar e Marinho Chagas
    Agachados: Zequinha, Carlos Roberto, Jairzinho, Rodolfo Fischer e Ademir Vicente.

    Cao, Mauro Cruz, Osmar, Waltencir (deslocado para a quarta-zaga e com "W", já conversei com a viúva, a senhora Therezinha) e Marinho Chagas; Carlos Roberto, Nei Conceição e Ademir Vicente (Marcos Aurélio); Zequinha, Jairzinho e Fischer (Ferretti com dois "T").

    Saudações Alvinegras

    ResponderExcluir