domingo, 28 de dezembro de 2008

Grêmio Maringá


Em pé; Wagner, Valdir, Nilo, Cleber, Assis, Alberico e Duílio
Agachados: Freitas, João Marques, Itamar, Nivaldo, Marquinhos e Bambinha

http://desenvolvimento.miltonneves.com.br

Nivaldo foi campeão paranaense de 1977 pelo Grêmio Maringá, o último estadual conquistado pelo clube no norte do Estado.

Nivaldo

Nivaldo Carneiro Rodrigues, o Nivaldo, nasceu em Marília, interior paulista, em 1º de julho de 1955. Teve uma carreira de sucesso com destaque para os oito anos em que defendeu o Atlético Paranaense (1979 a 1986), mas carrega até hoje uma tristeza dos tempos de bola. Em 1978, quando atuava pelo Grêmio Maringá, o meia-esquerda dividiu casualmente a bola com o zagueiro Valtencir em uma partida contra o Colorado, lance que resultou em tragédia. Ao cair no gramado, Valtencir sofreu ruptura da coluna cervical, e faleceu quase que instantaneamente. “Não tive culpa pelo que aconteceu, fui inocentado por todos. No entanto, ninguém gosta de estar associado a um lance como esse”, diz o ex-jogador. Atualmente residindo em Curitiba, é proprietário de uma empresa de engenharia que trabalha com edificações, além de atuar como comentarista esportivo da RPC, que retransmite o sinal da Rede Globo.

Ao contrário da imensa maioria dos atletas, Nivaldo sempre se preocupou em estudar simultaneamente à carreira. Assim, quando começou no Marília, já mentalizava a faculdade de Engenharia como prioridade. Foi estudar em Bauru, e precisou abandonar o MAC. Só retornou ao futebol seis meses depois no Noroeste. De lá seguiu para o Grêmio Maringá, onde conquistou o título paranaense de 1977. “Dar a volta olímpica por um clube do interior é muito diferente. Lembro que quando voltamos a Maringá após a decisão contra o Coritiba, fomos recebidos às 6 horas da manhã por uma multidão”.

A passagem pelo Atlético Paranaense foi a mais marcante da carreira. Oito anos com direito à conquista de três títulos estaduais, em 1982, 83 e 85. Por sinal, em 1985 o próprio jogador pediu para permanecer no rubro-negro a fim de concluir a faculdade. Abriu mão do salário alegando impossibilidade de treinar no período da manhã. O clube resolveu mantê-lo sem cortar seus vencimentos.

No ano seguinte, foi negociado com o Coritiba. Mas a grande rivalidade entre os dois gigantes paranaenses atrapalhou seu rendimento no Couto Pereira. “O presidente Evangelino Neves disse certa vez que vários conselheiros estavam insatisfeitos com a minha presença no clube. Como eu também já queria parar com a bola e iniciar vida nova, acertei a rescisão contratual sem custo para nenhuma parte. Até porque, naquela época futebol não dava dinheiro”.

Por Marcelo Rozenberg

O Grêmio Maringá é uma das forças do futebol do interior do Paraná, representando uma cidade com mais de 300 mil habitantes e um pólo econômico estruturado a partir de imigrantes japoneses, no Noroeste do Estado.
O período de ouro do futebol em Maringá coincidiu com o auge da cafeicultura. Foi na década de 60, quando o Grêmio sagrou-se bicampeão estadual, em 1963 e 1964, e conquistou um dos títulos mais cobiçados do futebol brasileiro: o Robertinho, em 1968.
Essa competição reuniu clubes do Centro-Sul, Norte e Nordeste do País, que não disputavam a competição nacional, o Roberto Gomes Pedrosa. Na decisão, o Grêmio derrotou nada menos que o Santos, de Pelé.

A primeira fase do Grêmio terminou em 1972, quando foi substituído pelo Maringá Esporte Clube. O clube voltou em 1974 com força total, tanto que obteve a sua maior conquista estadual: o título de campeão paranaense de 1977, impedindo o heptacampeonato do todo-poderoso Coritiba.
Depois de um período licenciado, quando a cidade foi representada por Maringá Atlético Clube e Maringá Futebol Clube - entre 1995 e 2000 -, o "Galo", como ficou conhecido nas décadas de 60 e 70, voltou com força total em 2001 e conquistou a Segunda Divisão, o que o reconduziu o grupo de elite do futebol paranaense. (foto)
O Grêmio Maringá é a única agremiação paranaense de propriedade de apenas uma pessoa. Depois de fracassadas tentativas de parcerias com Paraná e Atlético, o clube vendeu os direitos federativos ao empresário e ex-jogador Aurélio Almeida, que o transformou em clube-empresa com o nome de Grêmio S/A. O preço da negociação, em 2002, foi de R$ 260 mil, por tempo indeterminado.Em 2002, o clube foi vendido ao empresário Aurélio Almeida, por R$ 260 mil, e se transformou em Grêmio Maringá Sociedade Civil.

- Gremio Esportivo Maringá, Fundado em 07/07/1961, campeao paranaense em 1963 e 1964 e depois trocou de nome para Gremio de Esportes Maringa, Campeao em 1.977.
- Gremio Esportivo Paranaense, Fundado em 30/09/1961
- Gremio Esportes GEM, Fundado em 31/01/1998, atual gremio campeao da segunda de 2001.
Grêmio Maringá S/C - o atual...

Fonte: http://www.arquivodeclubes.com/pr/gremiomaringa.htm
Fonte: http://desenvolvimento.miltonneves.com.br

2 comentários:

  1. gostaria de saber se vç lembrão de algum jogador do gremio maringa anos 70 com nome de ferreira que depois se transf.para europa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ferreira, não, mais tinha o ferreirinha, que jogava com a número 8 no meio campo, ao lado de Didi e Nivaldo, a vezes jogavo o Assis no lugar do Didi, a vezes o Assis jogava de lateral direito no lugar do gaucho Valdir, que jogava na zaga ao lado do Nilo, Cleber e Albérico, e no ataque Freitas, que veio do Vasco, Itamar e Marquinhos.

      Excluir